Translate

sábado, 20 de novembro de 2010

Sequencia de acordes para violao(2)

Repare nas músicas de sua preferência como aparecem determinadas sequencias de acordes. Estas sequencias não estão ali por acaso. Nem tampouco foram “colocadas” ali porque alguém quis.
Na verdade, as sequencias de acordes dependem da melodia. Quem manda é a melodia. Os acordes só dão as caras por ali se forem chamados pela melodia. Uma maneira simples que encontrei de explicar esta coisa.
Tente, por exemplo, pegar um música que só tem três ou quatro acordes, e – obedecendo o campo harmônico – “enfiar” mais alguns acordes por ali. Pode até funcionar, mas só se a melodia permitir, entende? Se a melodia exige um A (lá maior), você pode até tentar colocar F#m (fá sustenido menor), que é o acorde relativo de A. Mas provavelmente não vai funcionar. Porque a melodia quer porque quer o A. E pronto.
Por este motivo é que músicos experientes parecem conhecer todas as músicas. O cérebro deles, ao ouvir uma melodia, já lhes diz quais acordes vão se encaixar aqui e acolá. Aí você fica olhando e pensa: “ah, se eu tocasse assim…”, é ou não é?
Quer chegar lá? Faça o que estes caras fazem. Estude muito, treine muito e toque muito. É claro que alguns têm mais facilidade. Tem gente que nasce com ouvido privilegiado, é uma coisa incrível. Mas estes são poucos. Se não for este o seu caso, estude as sequencias de acordes em músicas diferentes.


Como estudar sequencias de acordes


Não se deixe enganar por tonalidades. Explicando: uma sequencia de acordes não pertence a nenhuma tonalidade em particular. você pode ter a mesma sequencia de acordes em tonalidades diferentes. E a mesma tonalidade em sequencias de acordes diferentes. Eita! Complicou? Peraí um pouco…
Vamos pegar (pra variar) a tonalidade C (dó maior), cujo campo harmônico é:
1,   2  ,  3,    4,   5,   6,    7
C, Dm, Em, F, G, Am, Bdim
Pois bem. Temos nesta tonalidade os sete acordes do campo harmônico. Ou seja, os sete acordes básicos que podem ser usados nesta tonalidade. Através da numeração acima dos acordes, vamos montar nossas sequencias.
Sequencia A – 1 (C), 4 (F), 5 (G) – uma sequencia bem conhecida e muito usada.
Suponhamos que você tenha diante de si uma música com os acordes D, G e A. É a mesma sequencia, só que não mais na tonalidade C e sim na tonalidade D.
” Mesma sequencia, tonalidade diferente”
É bem fácil deduzir a minha outra afirmação: “mesma tonalidade, sequencia diferente”. Veja a sequencia abaixo:
  1. C, Am, F, G  ou 1, 6, 4, 5 (confira lá em cima) = tonalidade C (mesma tonalidade), sequencia diferente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário